quarta-feira, julho 29, 2009

Amor simples


Eu quero pegar na tua mão e te levar para passear.
À pé. Sem rumo.

Caminhando e cantando e seguindo o coração.

Parando de súbito e que susto! mostrar alguma coisa inofensiva que esteja sobre uma árvore ou no chão.

E a gente começa a conversar sobre a vida, sobre coisas que ninguém tem coragem de falar de tão íntimas e aparentemente pequenas demais, quase frívolas, mas que a gente leva a sério.

A gente vai discordar em certo ponto e então, no meio do seu melhor argumento eu vou sair correndo, ainda de mãos dadas, te puxando junto comigo.

Vou começar a rir sem parar enquanto você me olha com uma cara de desconcertado, até finalmente se entregar e me acompanhar na risada. Você vai se perguntar internamente se eu faço aquilo por manha ou o quê, e quando olhar nos meus olhos vai enxergar a resposta: não, é assim mesmo, um jeito leve de viver.

Esse jeito que você admira e que em certos pontos até acha exagero ou falta de comprometimento, mas novamente não, os olhos não enganam. É só que você não se acostuma com isso, porque você pensa em cada detalhe, cada palavra, cada possibilidade, criando estatísticas mil na sua cabeça sobre todo e qualquer tipo de assunto, até mesmo sobre nós.
 
E enquanto você mirabola, eu brinco com seu cabelo e desfaço o penteado ridículo que você criou pra tentar compensar a mão pesada do barbeiro, e aí você se dá conta da minha estripulia e - Mas de novo? Que coisa, não para! Pior que criança. Ah, não bagunça meu cabelo não... E eu rio com todo ar dos pulmões dessa sua preocupação boba para deixar o cabelo arrumado, rio feito criança. 

Você me olha com ar incrédulo querendo entender o porquê daquela atitude como pode, como pode? e então eu paro de rir e ficamos nos encarando, um olhando pro outro quando foi que eu te amei? em qual segundo eu me apaixonei? A gente não precisa dizer palavra; eu abro o sorriso e você me dá um beijo e aperta bem forte, pra eu sentir que o seu coração bate por mim naquele momento e tanto você como eu sentimos uma explosão de sentimentos, nossas energias se fundindo, nossos laços cada vez mais fortes você me lembra o oceano, eu me perco em você, eu preciso respirar, a gente sobe à tona e se encontra na superfície, eu quero dizer muita coisa mas é meu jeito simples: eu te amo.



"É na soma do seu olhar
Que eu vou me conhecer inteiro
Se nasci pra enfrentar o mar
Ou faroleiro" - Chico Buarque

3 comentários:

Inara Vechina disse...

hum....coisa boa tá apaixonada.é na soma de muitos olhares, indiscretos, indiferentes,sem-graça,encantador que o amor nasce´, eaí é só regar pq dele´vem o milagre de florescer eternamente.

Monica disse...

oooooooooun, que amor!

ADONAMANDA disse...

Lindo! maravilhoso!!!